Energia

Ford testa posto de carregamento acessível para pessoas com deficiência

Posto de carregamento para veículos elétricos é automatizado e permite iniciar a carga sem ter de se sair do automóvel

Quando se fala em mobilidade, a questão da acessibilidade deve estar na ordem do dia. Com os veículos elétricos, é importante garantir que a sua utilização é simples também para pessoas que possam ter alguma deficiência ou mobilidade reduzida. A pensar nisto, a Ford começou a desenvolver um protótipo de posto de carregamento robotizado que pode ser ativado através de uma aplicação de telemóvel.

Este posto de carregamento elétrico, que já está a ser testado em situações de vida real, é ativado através de uma aplicação sem que o condutor tenha de sair do automóvel

O processo é simples: depois de ativado, um braço de carregamento robotizado com uma câmara instalada estica-se até à ficha de entrada de alimentação do veículo. No fim, o braço recolhe automaticamente. Os condutores podem acompanhar o carregamento através da aplicação FordPass.

A tecnologia de carregamento da Ford começou a ser desenvolvida depois de um estudo no Reino Unido ter mostrado que 61% dos condutores com alguma deficiência estariam mais dispostos a adquirir um veículo elétrico se o processo de carregamento fosse mais acessível.

O posto de carregamento robotizado faz parte de um projeto de investigação que está a desenvolver soluções “mãos livres” para carregar elétricos e, mais tarde, veículos autónomos.

No vídeo é possível ver o posto de carregamento em funcionamento.

O objetivo é que este posto de carregamento, que está a ser feito à medida pela Universidade de Dortmund, na Alemanha, possa ser instalado em lugares de estacionamento para deficientes, em parques de estacionamento ou em casas particulares. Além disso, poderá ser uma solução interessante para carregar frotas empresariais.

Continuar a ler
Home
Preço dos combustíveis para a próxima semana com nova descida
E-bike analisa o nível de poluição no ar enquanto pedalas
E se fosses de balão ao espaço? Descobre aqui o preço de uma viagem de 6 horas