Atualidade

Vendas de automóveis elétricos disparam 60% até agosto. Descobre as razões

Os dados de venda de veículos 100% elétricos revelam que 1 em cada 10 carros novos matriculados é já 100% elétrico
Texto

O mercado automóvel em Portugal registou uma queda de 36,3%, no período de janeiro a agosto de 2022 face ao período homólogo de 2019 (pré-pandemia) e de uma queda de 2,8% comparando com o mesmo período de 2021.

Dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) revelam que entre janeiro e agosto de 2022 foram matriculados 120.093 veículos dos quais 36.469 são veículos eletrificados (elétricos, híbridos plug-in e híbridos elétricos) o que representa 30,4% do total das matrículas e um crescimento de 20,5% face a 2021.

A AWAY foi ao programa de informação Esta Manhã da TVI para explicar as principais razões que estão a movimentar o mercado.

Analisando por motorizações verifica-se que até agosto matricularam-se em Portugal 10.055 veículos ligeiros de passageiros 100% elétricos o que representa 9,9% do total de vendas e um forte crescimento de 58,6% face a 2021.

No mercado profissional os números são ainda mais animadores com os veículos comerciais ligeiros 100% elétricos a subirem 247,6% face a 2021, pese embora a descida de 19,7% face a 2019.

1 em cada 10 veículos novos matriculados em 2022 são 100% elétricos

No entanto historicamente grande parte das matrículas de veículos novos em Portugal são na verdade respeitantes a frotas e rent-a-car (que se ressentiram em 2020/21 com a pandemia). Por isso a análise dos números de vendas deve ter em conta este fator.

Porque é que se estão a vender tantos veículos elétricos?

Há várias razões que podem explicar:

  • Guerra na Ucrânia provocou aumento de combustíveis
  • Incentivos fiscais do governo (em particular para as empresas). Recordar que o Fundo Ambiental apoia em 2022 com 10 milhões de euros a aquisição de veículos elétricos e de mobilidade suave (4 mil euros para particulares e 6 mil euros para comerciais ligeiros/empresas)
  • Apoio à instalação de carregadores elétricos em condomínios com subsidiação em até 80% por lugar de estacionamento.
  • Consciência ecológica tem igualmente uma componente racional, mas é acima de tudo na poupança por km que alguns clientes podem estar a optar

Mas os veículos elétricos não são mais caros?

Se analisarmos apenas o preço de venda ao público verificamos que em média sim, um veículo elétrico é mais caro do que o equivalente a combustão em termos de mercado.

No entanto os veículos elétricos ganham no desgaste e manutenção pois não precisam, por exemplo de trocar óleo e filtro de óleo, correia de distribuição, entre outros. Para além disto um veículo elétrico poupa em pastilhas de travão, etc.

A manutenção de um carro a combustão é superior à verificada atualmente em um veículo elétrico.

E as baterias, não são um custo elevado quando chega a hora de trocar?

É um dos principais mitos dos carros elétricos, mas vamos por partes. Nos veículos elétricos mais modernos a troca de bateria pode nem ser necessária. O que poderá ter de ocorrer é a troca de módulos dessa bateria em função do desgaste.

Os estudos ainda não permitem grande conclusões porque o mercado é recente e não há assim tantas substituições de bateria quanto isso. É de salientar que os construtores dão garantias na bateria que ultrapassam os 8 anos.

É muito provável que ao fim de 8 anos um automóvel a combustão poderá já ter gasto em oficina o suficiente para uma bateria nova num carro elétrico se assim for necessário

Afinal quanto se poupa?

Um veículo elétrico pode representar uma poupança de 5 mil euros em 4 anos se analisarmos apenas o custo por km do kW vs. a gasolina/gasóleo.

A forma mais económica é ter uma wallbox, um carregador em casa, onde, com uma tarifa adequada que permita carregar o carro em período favorável consegue-se preços médios de 12 cêntimos por kWh, ou seja, para um consumo médio de 15,5 kWh/100 km, significa 1,86 euros.

A forma menos económica é o carregamento em postos públicos onde poderá gastar mais 4 euros em média para um carregamento equivalente a 100 km. Isto devido às taxas e impostos.

Abaixo um quadro comparativo tendo em conta uma média na gama do modelo mais vendido em Portugal e de acordo com dados recolhidos junto da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), da Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE) e da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), válidos à data de 27 de setembro de 2022.

Relembramos que para cada pessoa ou família deverão realizar os cálculos de acordo com a sua própria realidade.

O preço da eletricidade tem diferenças entre operadores e o preço dos combustíveis tem fortes flutuações semanais. Para além disso deverá ter em conta se pode ou não ter um carregador próprio e se as viagens que faz diariamente se situam ou não em uma média entre 50 a 60 km.

 

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Tecnologia Nissan e-Power nos novos Qashqai e X-Trail
Vê onde vão estar os radares da PSP em dezembro
Portugal poderá vir a ter produção de hidrogénio verde em Gondomar