Atualidade

GNR regista mais de 5000 contraordenações rodoviárias na operação Natal

Mais de 1600 condutores apanhados em excesso de velocidade e 107 detidos por excesso de álcool
Texto
Guarda Nacional Republicana (Foto: José Sena Goulão/Lusa)
Guarda Nacional Republicana (Foto: José Sena Goulão/Lusa)

A primeira parte da operação ‘Natal e Ano Novo 2022’ que a Guarda Nacional Republicana (GNR) está a levar a cabo nas estradas nacionais está concluída, havendo a registar um total de 5404 contraordenações rodoviárias.

Os dados disponibilizados pela GNR são referentes ao período compreendido entre o dia 22 de dezembro e as 7h30m do passado dia 26, a primeira de duas fases de reforço do patrulhamento e fiscalização que compõem uma operação que dura até 2 de janeiro de 2023.

Nesta primeira parte da operação foram fiscalizados 28.389 condutores, dos quais 217 conduziam com excesso de álcool. Por registarem uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l, 107 condutores receberam ordem de detenção, tal como aconteceu a outros 65, neste caso por não terem carta de condução.

Excesso de velocidade - AWAY
Excesso de velocidade é uma das contraordenações mais frequentes (Foto: J. Fasel/ Unsplash)

O excesso de velocidade foi uma das contraordenações mais frequentes – foram registadas 1680 – seguida da falta de inspeção periódica obrigatória – detetada em 406 veículos – e da falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças – com 186 contraordenações. A falta de seguro de responsabilidade civil originou 147 autos.

Já o uso indevido do telemóvel, um tema que tem sido alvo de inúmeras campanhas de sensibilização nos últimos anos, foi, ainda assim, detetado pela GNR em 111 ocasiões.

Quanto à sinistralidade rodoviária no período entre 22 e 26 de dezembro, os dados partilhados pela GNR revelam que foram registados 867 acidentes, os quais resultaram em oito vítimas mortais, 12 feridos graves e 199 feridos leves.

Em comunicado, a GNR destaca que operação ‘Natal e Ano Novo 2022’ tem como objetivos combater a criminalidade e reduzir a sinistralidade rodoviária, “através de ações de fiscalização orientadas para os locais de maior fluxo rodoviário”.

Entre outras sugestões, a GNR aconselha os condutores a viajar fora dos períodos onde se prevê maior intensidade de tráfego; a adequar a velocidade às condições meteorológicas; e a adotar uma condução atenta, cautelosa e defensiva.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Barco à vela produzido com algas e plástico reciclado inspira o futuro
Comer carne ou ser vegan? Qual a dieta com menos emissões de carbono?
Limitar o aquecimento global a 1,5ºC parece tarefa impossível diz novo estudo