Atualidade

Seguradora paga €77 mil a mulher atropelada ao passar sinal vermelho

Aumentada indemnização a mulher atropelada ao violar sinal vermelho para peões em Gaia
Texto
Sinal vermelho para peões (foto: Horacio Villalobos/Corbis via GettyImages)
Sinal vermelho para peões (foto: Horacio Villalobos/Corbis via GettyImages)

O Tribunal da Relação do Porto (TRP) condenou uma seguradora a pagar cerca de 77 mil euros à família de uma mulher que foi atropelada por um motociclo numa passadeira em Gaia, quando o sinal para peões estava vermelho.

O acórdão, datado de 15 de junho e consultado durante a semana passada pela Lusa, concedeu parcial provimento ao recurso interposto pelo marido e pelo filho da vítima, que veio a morrer no decurso dos autos.

O tribunal da primeira instância considerou que o sinistro se ficou a dever à atuação do condutor do veículo, mas também à conduta da autora, que atravessou a via quando o sinal para peões estava vermelho.

Foi assim decidido repartir a responsabilidade em 70% para a mulher e 30% para o condutor, condenando a seguradora do veículo interveniente no acidente a pagar aos autores uma indemnização no valor de cerca de 37 mil euros.

Inconformados com a decisão, os autores recorreram para o TRP que acabou por repartir as culpas em partes iguais para a vítima e o condutor, condenando a seguradora a pagar uma indemnização de 50 mil euros por danos morais e 22.408 euros por danos materiais.

Apesar de a autora ter atravessado a via com o sinal vermelho para peões, os juízes desembargadores dizem que o condutor do motociclo podia ter parado em condições de segurança, assim evitando o embate, tendo em conta que havia “boas condições de visibilidade”.

A velocidade de que vinha imbuído, e eventual distração ─ só assim se logrando entender que numa reta e com visibilidade de 100 metros, não houvesse quaisquer vestígios de travagem ou abrandamento da marcha ─, concorreu em igual medida com a desatenção e imperícia da infeliz vítima de proceder a uma travessia da faixa de rodagem com sinal vermelho”, refere o acórdão.

O acidente ocorreu cerca das 16:00 do dia 19 de abril de 2018, na VL8, na zona do Candal, em Vila Nova de Gaia.

Os factos dados como provados referem que quando a mulher iniciou a travessia da via, o sinal luminoso aí existente encontrava-se vermelho para os peões, tendo a autora sido atingida pelo motociclo quando se encontrava já próximo do separador central.

Após o embate, a autora foi assistida no local pelo Instituto Nacional de Emergência Médica, tendo sido posteriormente transportada para o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia, apresentando um quadro clínico de tetraplegia, com necessidade de ajuda de terceira pessoa, total e permanentemente, e de internamento em unidade de saúde especializada em cuidados continuados.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Radares da PSP para a semana de 2 a 8 de outubro
Preço dos combustíveis com descida ligeira esta 2.ª feira
Há milhões de painéis solares parados em armazéns. O que se passa?