Atualidade

COP27 arranca no Egito ensombrada pelo aumento das emissões poluentes

Concentração de gases com efeito de estufa está a aumentar e põe em causa estratégias governamentais. Poderá a cimeira inverter a situação?
Texto
COP27 deverá trazer metas renovadas de combate às alterações climáticas (foto: Altaf Qadri/ AP)
COP27 deverá trazer metas renovadas de combate às alterações climáticas (foto: Altaf Qadri/ AP)

Faltam poucos dias para arrancar mais uma cimeira global dedicada ao clima. Líderes e representantes de todo o mundo vão reunir-se no Egito, de 6 a 18 de novembro, para a Cimeira do Clima COP27, onde irão discutir as alterações climáticas e renovar ou alinhar estratégias para travar o aquecimento global.

Para a COP27, a ter lugar na zona balnear de Sharm el-Sheikh, são esperadas mais de 35 mil pessoas. Depois da Escócia no ano passado, a conferência da ONU sobre alterações climáticas muda-se para o Egito, uma escolha envolta em polémica, em especial pelo facto do país ser o segundo maior produtor de gás do continente, segundo a organização Climate Action Tracker.

As notícias mais recentes sobre a subida da temperatura média no planeta não são as melhores. Um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) aponta os gases com efeito de estufa como os principais inimigos dos ecossistemas e avança que as medidas para já implementadas pelos vários governos a nível mundial são insuficientes.

COP27 - AWAY
COP27 deverá ser palco de manifestações (foto: Oded Balilty/ AP)

Mantendo-se a atual trajetória, a ONU está convencida de que a temperatura neste século irá subir 2,8 graus, quando comparada com níveis pré-industriais. Na COP deste ano, decisores políticos, especialistas, académicos e organizações não-governamentais vão novamente trabalhar no sentido de limitar essa subida a menos de 2 graus, idealmente 1,5 graus.

Depois de recentemente a Organização Meteorológica Mundial, organismo pertencente à ONU, ter anunciado que a concentração de gases com efeito de estufa na atmosfera está a bater recordes, percebe-se que há ainda muito trabalho a fazer. E há o receio generalizado de que não resultem metas muito ambiciosas da COP27.

COP27 - AWAY
Alterações climáticas causam mais fenómenos meteorológicos extremos (foto: Fatai Campbell/ AP)

A guerra na Ucrânia e a consequente crise energética veio baralhar as contas no que diz respeito ao abrandamento da produção e dependência de combustíveis fósseis. Da mesma forma, a crise alimentar, a acentuada inflação e o aumento da pobreza está a deixar para trás a luta contra as alterações climáticas, consideram organizações da sociedade civil.

Veremos que resultados práticos trará mais esta cimeira mundial dedicada ao clima. Entre revisão das metas de emissão de gases com efeito de estufa e pacotes de ajuda aos países mais pobres, especialmente afetados pelas alterações climáticas, a expetativa é grande.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Sabias que 1 em cada 4 EV utilizam baterias da Coreia do Sul?
Preço da gasolina e do gasóleo desce na próxima segunda-feira. Vê aqui
Autocarro português a hidrogénio está a chegar à Europa