Cidades

Câmara de Ílhavo cessa corte de vegetação para manter insetos polinizadores

Flores servem de alimento para abelhas e borboletas, responsáveis pelo aumento da biodiversidade
Texto
Ílhavo interrompe corte de vegetação
Ílhavo interrompe corte de vegetação

Garantir a sobrevivência de insetos polinizadores é o propósito da Câmara Municipal de Ílhavo com a medida anunciada de suspensão do corte de relva e de vegetação espontânea em parques e jardins públicos.

Diversas espécies de flores, como os dentes-de-leão e as margaridas, que servem de alimento a abelhas e borboletas, estão a crescer de forma espontânea e deliberada em canteiros, espaços de lazer, parques e jardins do município do distrito de Aveiro.

Em comunicado e citada pela Lusa, a Câmara Municipal de Ílhavo esclarece que, desta forma, “dá o seu contributo para travar o declínio dos insetos polinizadores, tão importantes para a segurança alimentar, a agricultura sustentável, a saúde ambiental e dos ecossistemas e o enriquecimento da biodiversidade”.

Mariana Ramos, vereadora do município de Ílhavo responsável pela área do ambiente, salienta que este tipo de ações tem também o propósito de sensibilizar e educar a comunidade para a importância da manutenção e da criação de habitats naturais.

Ainda sob o tema da polinização, que se estima ser responsável pela sobrevivência de cerca de 80% das espécies vegetais, a autarquia promoveu uma oficina de construção de “Abrigos para Insetos Polinizadores” junto à Casa da Cultura de Ílhavo.

A iniciativa serviu para os participantes conhecerem as principais diferenças entre abelhas, abelhões e vespas asiáticas, bem como para entenderem a importância dos insetos polinizadores no ecossistema.

(Fotos: Câmara Municipal de Ílhavo e Unsplash)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Portugal inova com projeto de reprodução de corais
Vê onde vão estar os radares da PSP em dezembro
Tecnologia Nissan e-Power nos novos Qashqai e X-Trail