Sustentabilidade

Como inundar plantações salva colheitas em época de seca

Para enfrentar secas severas, agricultores aproveitam chuvas torrenciais para inundar terrenos
Texto
Agriculturas inundadas para recarregar solos (foto: Rancho Terra Nova)
Agriculturas inundadas para recarregar solos (foto: Rancho Terra Nova)

Os eventos climáticos extremos deixaram de ser uma raridade para passarem a ser quase uma regra anual. Entre períodos de seca extrema e chuvas torrenciais que acabam em grandes inundações, muitas vezes as culturas agrícolas acabam destruídas.

Na Califórnia, um agricultor encontrou uma forma de aproveitar os meses de muita água para salvar as suas plantações e agora o estado quer seguir o exemplo.

Agriculturas - AWAY
Agriculturas inundadas (foto: Justin Sullivan/Getty)

Foi em 2011 que, pela primeira vez, Don Cameron, proprietário do Rancho Terra Nova no Vale de San Joaquin, na Califórnia, utilizou o excesso de águas da chuva para inundar os seus terrenos onde planta uvas para vinho, amêndoas, nozes, pistácio e oliveiras.

E se na altura os vizinhos acharam a ideia louca e pensaram que o agricultor poderia estar a destruir todas as plantações, agora a sua ideia para controlar as inundações e devolver água ao subsolo é considerada um modelo a seguir.

Esta metodologia permite controlar picos de inundações, ao mesmo tempo que ajuda a restabelecer os lençóis freáticos, armazenando água para períodos de seca.

Recentemente, a Califórnia foi inundada por várias tempestades e Don Cameron está a aproveitar o máximo de água possível.

Reservatório - AWAY
Reservatório San Luis, na Califórnia, com pouca água (foto: Terry Chea/AP)

O dono do rancho referiu, em declarações à Reuters, que a sua operação está a permitir devolver ao solo entre 9,9 milhões e 11,1 milhões de metros cúbicos de água por ano, suficiente para entre 16 mil e 18 mil casas, por ano.

Califórnia incentiva ao carregamento de lençóis freáticos

Em 2014, o estado da Califórnia aprovou o Ato de Gestão Sustentável de Lençóis Freáticos (SGMA, na sigla em inglês), uma lei que pretende evitar desastres associados à utilização excessiva de água. Como tal, um dos incentivos é que os agricultores recarreguem os seus terrenos com água em períodos de muita chuva.

Recentemente, a Califórnia cedeu 260 milhões de dólares (cerca de 242 milhões de euros) às Agências de Sustentabilidade de Águas Subterrâneas, criada sobre a SGMA. Foram recebidas candidaturas no valor de 800 milhões de dólares (mais de 743 milhões de euros) para projetos de recarregamento de água nos lençóis freáticos das terras.

Mas parece que além dos custos – é essencial instalar sistemas de bombeamento, por exemplo –, há outros obstáculos em relação à inundação de plantações.

Plantações - AWAY
Recarregar lençóis freáticos ajuda culturas em época de seca (foto: Tim Mossholder/Unsplash)

É essencial que a quinta tenha acesso a águas pluviais, não se pode prejudicar espécies em perigo e não se podem inundar terras que tenham determinados fertilizantes, pesticidas ou resíduos de laticínios.

Ainda assim, recarregar os lençóis freáticos em períodos de muita chuva pode ser a solução para se atingir a sustentabilidade não só no Vale de San Joaquin, na Califórnia, como um pouco por todos os países que enfrentam anualmente os dois eventos climáticos.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Vê como vai estar o preço dos combustíveis esta semana
Microcarro da Silence tem bateria amovível com rodinhas
Clássico Renault 5 renasce em versão elétrica e moderna